Publication
Title
Autotradução ou literatura vernácula? Um estudo comparativo da obra de Yone Noguchi, Akira Mizubayashi e Yoko Tawada
Author
Abstract
A literatura escrita por migrantes pertence a uma classe particular, porque a língua materna desses autores é sempre outra que a língua na qual eles escrevem. Daí, surge a pergunta: trata-se de uma tradução feita pelo próprio autor, ou é simplesmente um texto escrito em língua estrangeira por um estrangeiro? Neste estudo, pesquisamse as obras de três autores japoneses que publicaram livros, cada um em uma língua diferente. Essas obras são analisadas com o intuito de avaliar em que medida esses autores mantêm rastros da língua materna a ponto de criar uma língua mista, creolizada que reflita uma nova identidade. Em outras palavras, trata-se de responder à pergunta se eles mesmos se traduziram, ou se escreveram simplesmente em outra língua, o que significaria que eles mantiveram sua identidade de japoneses. Chega-se à conclusão de que as atitudes dos autores são diferentes ao enfrentarem a cultura estrangeira e sua língua, embora a temática e a adaptação à cultura estrangeira sejam muito parecidas. Conclui-se que a maneira de se autotraduzir e a maneira de lidar com a língua do outro dependem, claro, da personalidade do autor, mas também do tipo de sociedade receptora e do momento histórico.
Language
Dutch
Source (journal)
Itinerários
Publication
2014
Volume/pages
38(2014), p. 73-88
Full text (publisher's version - intranet only)
UAntwerpen
Faculty/Department
Research group
[E?say:metaLocaldata.cgzprojectinf]
Publication type
Subject
Affiliation
Publications with a UAntwerp address
External links
VABB-SHW
Record
Identification
Creation 05.02.2015
Last edited 14.06.2016
To cite this reference